Treinar_Gestao_Empresarial_Logo_Sem_fundo.png

32 98875-2921

Você Sabe O Que é Marketing de Oportunidades?

Revista Conexão Comércio

Aproveitar um assunto, um acontecimento ou modismo que está em alta, associá-lo a um aspecto positivo da marca/produto/serviço é desenvolver o Marketing de Oportunidades. Quem não se lembra da propaganda “Motorista da Rodada”, promovida pela Skol, quando a blitz da Lei Seca ficou mais rigorosa?

Para o publicitário Sergio Gattás Bara, Iso4 Comunicação, o Marketing de Oportunidades é pegar “carona” numa situação e tentar transformá-la em algo positivo para o negócio. “Atualmente, o Marketing de Oportunidades ganhou ainda mais possibilidades e agilidade, graças às redes sociais. Acontecimentos relevantes logo têm seus vídeos visualizados e compartilhados por milhares de pessoas no You Tube, ganham uma hashtag (#) no Twitter e uma imagem com uma frase engraçada no facebook. Só é preciso ter cuidado para não perder o foco, transformando a oportunidade em oportunismo”.

De acordo com o publicitário Luiz Cavalini, da Griffin Comunicação, o conceito de Marketing de Oportunidades é antigo. “É o pipoqueiro que instala seu carrinho de pipocas na porta da escola no horário da saída. É claro que os estudiosos procuram compreender o fenômeno e aplicá-lo de modo organizado, a fim de que dele se extraia o máximo de possibilidades, mas na maioria das vezes o evento é espontâneo”. Segundo ele, as pequenas empresas são as mais aptas a identificarem e aproveitarem as oportunidades. “As grandes empresas têm mais dificuldades para ação, por causa da complexidade da sua gestão”, defende.

“Qualquer ação passa pela análise dos 4P’s de Marketing (Preço, Praça, Produto e Promoção). É essencial que a oportunidade de mercado esteja alinhada ao tipo de negócio. Na maioria das vezes as oportunidades são perdidas por razões óbvias, como incapacidade de atendimento á demanda, preço fora da margem de percepção de valor, entre outros”, afirma o diretor executivo da Aria Publicidade e Marketing, Nivaldo Alvarenga. O principal problema apontado pelos três publicitários é a dificuldade dos gestores em alinhar seu produto/serviço a oportunidade.

Quando questionados sobre qual tema devia ser mais explorado em campanhas de marketing, os publicitários foram unânimes: “Todos!”. “Pelo simples fato desses pontos terem sido apontados como preferências do brasileiro e, de certa forma, fazerem parte da nossa cultura, a possibilidade de êxito de uma ação com esses temas é consideravelmente maior”, afirma Sérgio Bara. “É claro que as paixões nacionais têm e devem ter um merecido destaque nos apelos comerciais”, acrescenta Nivaldo.

Ainda, segundo Luiz Cavalini, “as paixões são momentos de pouca reflexão dos consumidores, o que por conseqüência gera boas oportunidades de consumo. Assim, as empresas que vislumbrarem qualquer atividade ligada ao evento por ter sucesso. Do turismo à moda, do suvenir à música, da capacitação de pessoal à vitrine, existe um universo de possibilidades que não podem ser descartadas”, inclui.

Fonte: Revista Conexão Comércio