Treinar_Gestao_Empresarial_Logo_Sem_fundo.png

32 98875-2921

Qualidade Total – Conceito e evolução…

Professor João Carlos Batista

Qualidade Total, conceito e evolução.

Prezado leitor, abordaremos neste primeiro artigo o conceito de qualidade e sua evolução no decorrer do tempo.

Podemos perceber que a mensagem transmitida pelos principais autores de obras relacionadas à qualidade, tais como William E. Deming; Joseph M. Juran; Kaoru Ishikawa, Philip B. Crosby e Armand V. Feigenbaum, associadas aos conceitos atualmente disseminados por alguns estudiosos e entidades relacionadas à gestão pela qualidade total, alinham-se quase que homogeneamente buscando como objetivo o compromisso com a padronização e melhoria do processo de qualidade de toda a empresa através da investigação do processo produtivo visando a identificação e eliminação de causas de problemas que afetam a qualidade, eliminação do desperdício, estimulação do trabalho em equipe, valorização dos resultados e dos colaboradores envolvidos, e satisfação das necessidades e expectativas dos stakeholders (clientes internos e externos, empregados, acionistas, fornecedores e sociedade em geral), criando um clima de inovação para a melhoria contínua da qualidade.

Qualidade Total é, portanto, a filosofia que coloca a qualidade como ponto central dos negócios e atividades da Organização, disseminando-a em todas as atividades e para todas as pessoas, mantendo como foco a satisfação de todos os envolvidos no processo.

Os seguintes princípios constituem a base dessa filosofia:

– Satisfação dos clientes ( internos e externos );
– Gerência participativa;
– Desenvolvimento do Ser Humano;
– Constância de propósitos;
– Aperfeiçoamento contínuo ( melhoria contínua );
– Gerência de processos;
– Delegação;
– Disseminação de informações;
– Garantia da qualidade;
– Não aceitação de erros.

Segundo Farias Filho (2000)

O estudo sobre a evolução da qualidade como companheira da evolução da humanidade, já apresentada, está distribuído em etapas que podem ser caracterizadas fazendo-se uma correlação com a situação sócio-econômica do ser humano em seu processo evolutivo.

Com base na compreensão desta citação, reforça-se o entendimento de que a função qualidade potencialmente está direta e decisivamente relacionada ao “ser humano” ( às pessoas ), reforçando-se assim, a perspectiva de que pode ser encarada como uma função de ordem vital, tanto para as organizações quanto para os indivíduos.

O quadro abaixo visa demonstrar a escala evolutiva da função qualidade através do tempo.

1900 – INSPEÇÃO:

Os atributos de um produto eram examinados, medidos ou testados, a fim de assegurar a sua conformidade. Utilização de referenciais e/ou modelos para comparação ( desenhos, especificações, moldes, etc… )

1930 – CONTROLE ESTATÍSTICO DO PROCESSO:

Programas de capacitação dos processos e técnicas de amostragem. Manutenção das características anteriores com a associação de modelos estatísticos visando identificação de desvios da qualidade e suas causas.

1950 – GARANTIA DA QUALIDADE:

Surgimento da necessidade de implementação de um Sistema da Qualidade em que todas as ações são planejadas e sistematizadas de modo a garantirem uma confiança adequada de que um produto e/ou serviço satisfará determinados requisitos de Qualidade.

– Quantificação dos Custos da Qualidade

– Técnicas de confiabilidade

– Programa Zero Defeitos.

1970 – GESTÃO INTEGRADA DA QUALIDADE TOTAL:
Manutenção das características anteriores com a inclusão de uma outra característica de crescente relevância: O fator Humano, isto é, a humanização da empresa.

Todos os colaboradores da empresa, assim como clientes e fornecedores, devem ser envolvidos na realização da qualidade.

O enfoque valoriza os clientes ( internos e externos ) e a sua satisfação como fator de preservação e ampliação da participação no mercado.

1990 – GESTÃO ESTRATÉGICA DA QUALIDADE TOTAL:

Abordagem gerencial que usa a melhoria contínua como uma arma estratégica para fortalecimento da competitividade e rentabilidade.

Requer que os objetivos e metas da qualidade sejam orientados para os objetivos estratégicos do negócio.

Requer valores, princípios, pensamento sistêmico, liderança inovadora, satisfação dos clientes externos e internos e desenvolvimento de todos os integrantes da organização.

Requer a contínua avaliação e melhoria de produtos, serviços, processos e relacionamentos.

– Agradecimentos ao Prof. Ricardo R.S.Mendonça ( UFJF ) pela contribuição através da disponibilidade de conteúdo relevante para a elaboração do material disponível na série “Qualidade”, postada através dos artigos aqui editados.

Sobre o autor:

Prof. João Carlos tem formação técnica em contabilidade, graduação em Administração de Empresas, pós-graduação em Gerência da Qualidade Total, MBA em Gestão de Marketing e negócios, experiência como docente dos cursos de Administração de Empresas da Universidade Federal de Juiz de Fora e da Faculdade Metodista Granbery, bem como nos cursos de extensão em Gestão pela Qualidade Total no SENAC-MG e EAD do Instituto Vianna Junior, consultor organizacional e aproximadamente 15 anos como administrador em empresas do setor privado, coordenador e membro do conselho fiscal do Instituto Relaciono, consultor parceiro da Destra Consultoria em Qualidade, examinador sênior do Prêmio Regional da Qualidade – Zona da Mata Mineira e sócio-proprietário da empresa Treinar Assessoria Empresarial Ltda.